segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Fazes-me falta

Publicada por Sofia à(s) segunda-feira, fevereiro 09, 2009
Já passaram 3 anos desde que partiste. Ainda hoje me custa dizer. Ainda hoje é um esforço e um aperto na garganta dizer a palavra. Morte. Tão pesada. Tão escura. Ou então é só uma palavra como todas as outras e eu é que lhe atribuí este sentido.
Penso em ti quase todos os dias. Tinhas só mais dois anos que eu e imagino como estaria a tua vida se ainda fosses vivo. Fazes-me falta. Eras o meu melhor amigo e ainda hoje me dói não te ter por perto. Não te consigo dizer adeus.
Sei que fiquei paranóica com a morte. Tenho um medo constante, desde que te perdi, que as pessoas que mais amo morram também. A minha mãe, o meu pai, o B. e tantos outros... Olho para o B. a dormir. Hoje discutimos. Uma discussão parva mas ele adormeceu chateado. Eu não consegui dormir. Encontrei uma foto tua dentro de um livro meu e relembrei-te mais uma vez. Pensei no que aconteceria se o perdesse e as minhas últimas palavras fossem as de uma discussão. Rudes. Duras. Olho para ele e tento imaginar a minha vida sem ele e sinto um aperto tão grande que até me custa a respirar.
A minha mãe diz-me que não devo sofrer por antecipação. Mas não consigo. Desde que te perdi, não suporto sequer pensar em perder mais alguém.

Até já... Não olhes por mim. Olha pelos meus. Adoro-te.

5 comentários on "Fazes-me falta"

Pjsoueu on 9 de fevereiro de 2009 às 11:39 disse...

Sophie:

Permite que fale um pouco contigo:
- A morte dos nossos é algo cuja dor não conseguimos medir..é terrivelmente brutal, aperta-nos o peito só de imaginar..
Mas, temos de aceitar a morte, dando vida aos que foram; porque eles estão sempre conosco, sempre os lembramos nas horas felizes. podemos contar as piadas deles...rir deles e com eles"

Eu costumo falar dos meus que já foram afzer a "viagem" e faço-o sempre, como se tivessem aqui.. e estão sempre que penso efalo deles sem medo de dizer e aceitar...

beijos do Pj

Fada on 9 de fevereiro de 2009 às 13:44 disse...

:(

Beijitos...

Saltos Altos Vermelhos on 9 de fevereiro de 2009 às 22:25 disse...

:( :( não gosto de falar nesse assunto
fica bem!

KILGORE on 11 de fevereiro de 2009 às 14:41 disse...

Duro!

Rodrigo on 12 de fevereiro de 2009 às 08:48 disse...

Nada disso, não gosto muito dele até.

Este sim, é glorioso. Infelizmente também sei o que é perder alguém próximo

Enviar um comentário

Se não gostares do que provaste, podes sempre pôr á borda do prato. De qualquer maneira, deixa a tua dentada!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Fazes-me falta

Já passaram 3 anos desde que partiste. Ainda hoje me custa dizer. Ainda hoje é um esforço e um aperto na garganta dizer a palavra. Morte. Tão pesada. Tão escura. Ou então é só uma palavra como todas as outras e eu é que lhe atribuí este sentido.
Penso em ti quase todos os dias. Tinhas só mais dois anos que eu e imagino como estaria a tua vida se ainda fosses vivo. Fazes-me falta. Eras o meu melhor amigo e ainda hoje me dói não te ter por perto. Não te consigo dizer adeus.
Sei que fiquei paranóica com a morte. Tenho um medo constante, desde que te perdi, que as pessoas que mais amo morram também. A minha mãe, o meu pai, o B. e tantos outros... Olho para o B. a dormir. Hoje discutimos. Uma discussão parva mas ele adormeceu chateado. Eu não consegui dormir. Encontrei uma foto tua dentro de um livro meu e relembrei-te mais uma vez. Pensei no que aconteceria se o perdesse e as minhas últimas palavras fossem as de uma discussão. Rudes. Duras. Olho para ele e tento imaginar a minha vida sem ele e sinto um aperto tão grande que até me custa a respirar.
A minha mãe diz-me que não devo sofrer por antecipação. Mas não consigo. Desde que te perdi, não suporto sequer pensar em perder mais alguém.

Até já... Não olhes por mim. Olha pelos meus. Adoro-te.

5 comentários:

  1. Sophie:

    Permite que fale um pouco contigo:
    - A morte dos nossos é algo cuja dor não conseguimos medir..é terrivelmente brutal, aperta-nos o peito só de imaginar..
    Mas, temos de aceitar a morte, dando vida aos que foram; porque eles estão sempre conosco, sempre os lembramos nas horas felizes. podemos contar as piadas deles...rir deles e com eles"

    Eu costumo falar dos meus que já foram afzer a "viagem" e faço-o sempre, como se tivessem aqui.. e estão sempre que penso efalo deles sem medo de dizer e aceitar...

    beijos do Pj

    ResponderEliminar
  2. :( :( não gosto de falar nesse assunto
    fica bem!

    ResponderEliminar
  3. Nada disso, não gosto muito dele até.

    Este sim, é glorioso. Infelizmente também sei o que é perder alguém próximo

    ResponderEliminar

Se não gostares do que provaste, podes sempre pôr á borda do prato. De qualquer maneira, deixa a tua dentada!

 

Light Cupcakes Copyright 2009 Sweet Cupcake Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez