sexta-feira, 24 de julho de 2009

O meu pai

Publicada por Sofia à(s) sexta-feira, julho 24, 2009
Nunca foi perfeito. E se tudo correr bem, nunca o há-de ser. Nunca foi ver as minhas peças de teatro, as minhas exibições e competições de ginástica. Nunca foi às reuniões de pais ou ver as minhas notas. Eu acho que às tantas ele nem sabia em que ano é que eu andava.
Mas sempre que eu estava triste, era o meu pai que me amparava. Eu nunca fui de dizer que estava em baixo, mas com ele, nem precisava.
Ele dizia para eu deitar a cabeça nas pernas dele e fazia-me festas no cabelo até eu adormecer.
O meu pai até eu sair de casa todas as noites me ia dar um beijinho à noite, e perguntava-me sempre se eu queria um copinho de água.
Antes de viajar, abraçava-me sempre com tanta força, tanta que quase me esmagava, e dizia-me "Amo-te muito minha pequenina". E depois chegava a casa, e tivesse ido à China, trazia-me sempre gomas, porque era a única coisa que eu realmente gostava. Vinha sempre com aquele cheiro dele, que é uma mistura de tabaco com o cheiro do frio. E o meu pai, que é um bruto para toda a gente, que é arrogante até dizer chega, em casa é um coração de manteiga que só visto.
O meu querido pai, sempre que faz anos, e alguém lhe diz para ele pedir um desejo, ele pede sempre saúde e felicidade para todas nós. E eu desde pequena que me lembro de me perguntar porque é que ele não pedia felicidade para ele. Agora sei, porque a ele só lhe interessa como nós estamos.
Sempre me disse que as mulheres se distinguiam pela dignidade que tinham. Que isso se notava até na maneira de falar delas. E para eu ser sempre digna de mim. Que nunca fizesse nada de que não me orgulhasse mais tarde.
Uma vez fomos passear à beira do rio Tejo,numa noite de verão porque estava demasiado calor para estar em casa, eu ia caindo, o meu pai desviou-me mas acabou por escorregar ele, e ficou todo arranhado e com vidros nas pernas. Chorei muito, e dizia que a culpa tinha sido minha, mas o meu pai tinha um ar muito aliviado e só dizia "Antes o pai que tu,querida".
Quando vim viver com o Bruno ele chorou muito. Ainda hoje, telefono-lhe e ele chora com saudades. E faz questão que eu tenha uma chave da casa deles, mesmo que nunca a use, porque posso sempre precisar.
Agora raramente o vejo. E se me perguntarem do que mais sinto saudades de viver em casa dos pais, era de adormecer no colinho dele quando o dia corria mal.

17 comentários on "O meu pai"

Storyteller on 25 de julho de 2009 às 00:29 disse...

Sublime!
Desculpa, mas não consigo dizer mais. Como me sinto hoje, acho que dá para imaginares como estas tuas palavras me deixaram.
Um beijo apertadinho!

Nuno on 25 de julho de 2009 às 12:07 disse...

Que texto tão bonito!!!

Marcia//M. disse...

ja andava a ler este "cantinho"..através de uma amiga ehe.
MAS hj confesso q n resisti! a ternura neste post,carregado de um laço familiar INTENSO:) bonito de se ver-e de sentir!!! ihihi

beijinhos e td de bom!

Rosa Negra on 26 de julho de 2009 às 13:38 disse...

Tão terno e cheio de amor, este post :))

Ana on 26 de julho de 2009 às 20:56 disse...

Que post mais sweet :)

Bloguótico on 27 de julho de 2009 às 00:50 disse...

Tens contigo as chaves de casa... vai aparecendo por lá de vez em quando! :D

Kami on 27 de julho de 2009 às 11:34 disse...

Gostei de ler as tuas emoções!

HannaH on 27 de julho de 2009 às 12:11 disse...

quem me dera um pai assim... preserva-o bem!

Rapariga dos caminhos abstractos on 27 de julho de 2009 às 19:47 disse...

Oh adoro textos assim , cheios de ternura e doçura.

Carla on 27 de julho de 2009 às 20:51 disse...

Texto lindo!

Eu só cresci com a minha mãe, que embora não seja perfeita, é tudo :)

Histérica ® on 28 de julho de 2009 às 18:29 disse...

Seria óptimo se todos tivessem um pai assim, por isso, cuida muito bem da vossa relação e aproveita ao máximo a companhia dele, porque há quem não tenha a mesma sorte!


;D

annie on 29 de julho de 2009 às 00:11 disse...

adorei Sophie. beijinho*

Marlene on 29 de julho de 2009 às 00:12 disse...

Um amor de sempre, esse! Para sempre!

Anne on 31 de julho de 2009 às 04:06 disse...

o meu pai está longe, só o vejo 2 vezes por ano, quando vem a Portugal. sinto muito a falta dele afinal as meninas são quase sempre muito próximas do pai.
aproveita cada instante, cada momento com ele. só isso é que fica na lembrança.
beijinho.

Ana Morais on 6 de agosto de 2009 às 00:01 disse...

Espero que o teu pai tenha oportunidade de ler isto...qualquer pai devia saber destas coisas, porque é em vivo que vale a pena saborear o lado bom da vida.

beijoca pipoca

Cookie on 21 de agosto de 2009 às 23:36 disse...

Para quem vive com saudades de um pai, que mesmo não sendo perfeito, para mim era o melhor do mundo, porque me dedicava um amor incondicional, este texto foi simplesmente de levar às lágrimas. Obrigada por essa forma tão bonita de demonstrares o teu amor pelo teu progenitor e a importância que ele teve na tua vida. Felizmente acho que consegui também demonstrar o mesmo ao meu, enquanto o tive por cá
Beijinho
Cookie

Anónimo disse...

O nosso pai....é o nosso heroi....

Enviar um comentário

Se não gostares do que provaste, podes sempre pôr á borda do prato. De qualquer maneira, deixa a tua dentada!

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O meu pai

Nunca foi perfeito. E se tudo correr bem, nunca o há-de ser. Nunca foi ver as minhas peças de teatro, as minhas exibições e competições de ginástica. Nunca foi às reuniões de pais ou ver as minhas notas. Eu acho que às tantas ele nem sabia em que ano é que eu andava.
Mas sempre que eu estava triste, era o meu pai que me amparava. Eu nunca fui de dizer que estava em baixo, mas com ele, nem precisava.
Ele dizia para eu deitar a cabeça nas pernas dele e fazia-me festas no cabelo até eu adormecer.
O meu pai até eu sair de casa todas as noites me ia dar um beijinho à noite, e perguntava-me sempre se eu queria um copinho de água.
Antes de viajar, abraçava-me sempre com tanta força, tanta que quase me esmagava, e dizia-me "Amo-te muito minha pequenina". E depois chegava a casa, e tivesse ido à China, trazia-me sempre gomas, porque era a única coisa que eu realmente gostava. Vinha sempre com aquele cheiro dele, que é uma mistura de tabaco com o cheiro do frio. E o meu pai, que é um bruto para toda a gente, que é arrogante até dizer chega, em casa é um coração de manteiga que só visto.
O meu querido pai, sempre que faz anos, e alguém lhe diz para ele pedir um desejo, ele pede sempre saúde e felicidade para todas nós. E eu desde pequena que me lembro de me perguntar porque é que ele não pedia felicidade para ele. Agora sei, porque a ele só lhe interessa como nós estamos.
Sempre me disse que as mulheres se distinguiam pela dignidade que tinham. Que isso se notava até na maneira de falar delas. E para eu ser sempre digna de mim. Que nunca fizesse nada de que não me orgulhasse mais tarde.
Uma vez fomos passear à beira do rio Tejo,numa noite de verão porque estava demasiado calor para estar em casa, eu ia caindo, o meu pai desviou-me mas acabou por escorregar ele, e ficou todo arranhado e com vidros nas pernas. Chorei muito, e dizia que a culpa tinha sido minha, mas o meu pai tinha um ar muito aliviado e só dizia "Antes o pai que tu,querida".
Quando vim viver com o Bruno ele chorou muito. Ainda hoje, telefono-lhe e ele chora com saudades. E faz questão que eu tenha uma chave da casa deles, mesmo que nunca a use, porque posso sempre precisar.
Agora raramente o vejo. E se me perguntarem do que mais sinto saudades de viver em casa dos pais, era de adormecer no colinho dele quando o dia corria mal.

17 comentários:

  1. Sublime!
    Desculpa, mas não consigo dizer mais. Como me sinto hoje, acho que dá para imaginares como estas tuas palavras me deixaram.
    Um beijo apertadinho!

    ResponderEliminar
  2. ja andava a ler este "cantinho"..através de uma amiga ehe.
    MAS hj confesso q n resisti! a ternura neste post,carregado de um laço familiar INTENSO:) bonito de se ver-e de sentir!!! ihihi

    beijinhos e td de bom!

    ResponderEliminar
  3. Tão terno e cheio de amor, este post :))

    ResponderEliminar
  4. Tens contigo as chaves de casa... vai aparecendo por lá de vez em quando! :D

    ResponderEliminar
  5. quem me dera um pai assim... preserva-o bem!

    ResponderEliminar
  6. Oh adoro textos assim , cheios de ternura e doçura.

    ResponderEliminar
  7. Texto lindo!

    Eu só cresci com a minha mãe, que embora não seja perfeita, é tudo :)

    ResponderEliminar
  8. Seria óptimo se todos tivessem um pai assim, por isso, cuida muito bem da vossa relação e aproveita ao máximo a companhia dele, porque há quem não tenha a mesma sorte!


    ;D

    ResponderEliminar
  9. Um amor de sempre, esse! Para sempre!

    ResponderEliminar
  10. o meu pai está longe, só o vejo 2 vezes por ano, quando vem a Portugal. sinto muito a falta dele afinal as meninas são quase sempre muito próximas do pai.
    aproveita cada instante, cada momento com ele. só isso é que fica na lembrança.
    beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Espero que o teu pai tenha oportunidade de ler isto...qualquer pai devia saber destas coisas, porque é em vivo que vale a pena saborear o lado bom da vida.

    beijoca pipoca

    ResponderEliminar
  12. Para quem vive com saudades de um pai, que mesmo não sendo perfeito, para mim era o melhor do mundo, porque me dedicava um amor incondicional, este texto foi simplesmente de levar às lágrimas. Obrigada por essa forma tão bonita de demonstrares o teu amor pelo teu progenitor e a importância que ele teve na tua vida. Felizmente acho que consegui também demonstrar o mesmo ao meu, enquanto o tive por cá
    Beijinho
    Cookie

    ResponderEliminar
  13. O nosso pai....é o nosso heroi....

    ResponderEliminar

Se não gostares do que provaste, podes sempre pôr á borda do prato. De qualquer maneira, deixa a tua dentada!

 

Light Cupcakes Copyright 2009 Sweet Cupcake Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez